Minhocas na cabeça

Quantos tipos de agricultura existem?
agosto 13, 2020

Durante minha graduação, sempre fiquei muito inquieta em ouvir falar dos desafios de cada matéria que estudávamos. Sempre percebi que os desafios (problemas) eram na verdade situações criadas pelas próprias tecnologias e sistemas de produção que estudávamos.

Tivemos uma base muito forte de solos, um dos focos do departamento que estudei. Uma vez perguntei brincando à professora “para resolver o problema de compactação de solo, porque não soltamos toneladas de minhoca em cima?” daí ela riu e respondeu “com a quantidade de defensivos que a gente usa mataria as minhocas, não adianta”. 

Agronomia Agroecologia Agrofloresta

Sempre foi muito natural para mim ter esse movimento de dar três passos para trás do problema e enfrentá-lo de maneira sistêmica, com tecnologias que já existem na natureza. Por isso, percebi que o conjunto de desafios que estudávamos na graduação inteira poderia ser atribuído como consequências do próprio cultivo convencional, que ironicamente é o que aprendemos como “o único sistema capaz de alimentar a população mundial”. É dentro desse paradigma que são desenvolvidas as soluções para os desafios que ele mesmo cria. Seria como enxugar gelo, ao invés de desligar o freezer.

Dessa forma, resolvi conhecer de perto essas alternativas de cultivo, se realmente eram pouco profissionais e ineficientes como se atribuía na graduação, ou se tinham uma lógica distinta, e era precisa trocar os óculos para ler sua eficiência, como um esforço de quem está aprendendo uma língua diferente. 

Para saber mais sobre o estudo das agriculturas alternativas à convencional dentro dos currículos formais de agronomia, acesse a tese “Agroecologia e universidade: entre vozes e silenciamentos” da Dra Luciana Jacob.

Mariana Telles Rocha
Mariana Telles Rocha
CEO at @caninana.agr Cofounder at @plantechuva
Blog